Como o retrofit industrial otimiza o setor automotivo

Retroffiting ou Retrofit é um termo utilizado para designar o processo de modernização mecânica ou eletrônica de algum equipamento já considerado ultrapassado ou obsoleto.

por Alexandre Serain, coordenador de vendas da Mitsubishi Electric

Desde a época de Henry Ford e seu Modelo T, a linha de produção do setor automotivo vem se transformando para que possa operar de forma mais flexível, integrada e com maior eficiência energética, sendo um dos maiores exemplos de adoção das inovadoras tecnologias da Indústria 4.0.

E, quando vai chegando o final de ano, as montadoras de automóveis começam a anunciar os seus lançamentos nas diversas categorias, como SUVs, picapes, hatches e sedãs, o que significa que, além da constante busca pela maior eficiência nos processos, existe a necessidade de alterações na linha de montagem para a entrega dos novos modelos.

Mas essas mudanças levam a um desafio: custos. Comprar novas máquinas pode tornar esse processo inviável.

Uma estratégia para ajustar a linha de montagem sem a necessidade de substituir o maquinário é o retrofiting, um investimento que equivale de 15% a 30% do valor de um novo equipamento, para modernização da máquina, trazendo benefícios significativos na produtividade e qualidade.

Mas afinal o que é o retrofitting?

Retroffiting ou Retrofit é um termo utilizado para designar o processo de modernização mecânica ou eletrônica de algum equipamento já considerado ultrapassado ou obsoleto.

Especialmente na parte eletro-eletrônica, aonde as necessidades atuais de integração dos parques fabris no modelo da indústria 4.0, exigiu que os equipamentos eletrônicos apresentassem um avanço tecnológico muito rápido, o que acarretou na aceleração da obsolescência de máquinas que ainda estavam em boas condições mecânicas. O Retrofitfing além de adequar a máquina para este novo cenário, pode também agregar recursos alinhados às mais recentes demandas ambientais, mantendo a produção em conformidade com práticas ESG – “Environment, Social & Governance” (Ambiental, Social e Governança, ou ASG no português).

Para tal, o retroffiting no setor automotivo possibilita à máquina um aumento significativo em tecnologias, no qual é possível um aumento de produtividade, conectividade (indústria 4.0), melhora operacional, aumento de confiabilidade, redução dos períodos de inatividade da máquina (downtime) e a disponibilização de peças de reposição para longos períodos de atividade, sendo um investimento de baixo custo comparado com a compra de máquinas novas.

Equipamentos industriais têm uma vida útil e podem ser descontinuados conforme as mudanças nas demandas e tendências do mercado. Produtos como Controladores Programáveis (CLPs), Comando Numérico Computadorizado (CNC), robôs industriais, entre outros, devem ser o centro das atenções ao se pensar na Indústria 4.0 em uma fábrica moderna. E esses são produtos indicados para o retroffiting, com a atualização de drivers e motores, entre outras peças. E, claro, oferecendo a possibilidade de mudanças na linha de produção, entregando novo modelos.

Retrofit atende a diversos objetivos

Em um cenário econômico que privilegia a redução de custos e o melhor aproveitamento dos insumos, o retrofit é uma excelente estratégia, redesenhando a linha de montagem ou uma máquina ferramenta, por exemplo. Além disso, evita um enorme desperdício de dinheiro e aproveitando a máquina atual, reutilizando a sua mecânica e não necessitando o descarte total desta máquina.

Mercado em expansão

De acordo com relatório da consultoria Transparency Market Research, o mercado global de automação industrial deve manter um percentual de crescimento anual acima de 6% até pelo menos 2024, atingindo um valor de US$ 352 bilhões até o final desse período.

As soluções inteligentes de retrofit de fábrica permitem que uma máquina ou sistema antigo tenha acesso a novas tecnologias. Inovadores recursos podem ser instalados em uma máquina antiga ou uma peça específica pode ser substituída por uma peça nova com recursos aprimorados.

E que venha o futuro com o passado renovado!

Related Posts
Read More

As concessionárias e o novo comportamento do consumidor

Segundo o estudo Perfil e Demandas do Novo Consumidor, da consultoria Boston Consulting Group (BCG), a mudança de comportamento do consumidor exigirá adaptação dos negócios no mundo pós-pandemia. Isso inclui reimaginar formatos e maneiras de incentivar as compras, analisar dados mais profundamente e trazer vantagens aos clientes