Em julho, comércio paulistano registra crescimento de 9% nas vendas

Balanço da ACSP mostra que o volume de vendas ainda está abaixo do patamar pré-pandemia, mas expectativa é igualar esse nível até o final do ano

Diário do Comércio

As vendas do varejo da capital paulista registraram alta de 9% em julho, na comparação com o mês anterior, de acordo com o Balanço de Vendas da Associação Comercial de São Paulo.

Na comparação interanual, o aumento foi bem expressivo, de 45,8%, mas puxado pela base fraca de comparação. Em julho de 2021, o comércio ainda passava por restrições de funcionamento e de público.

Considerando o mesmo mês de 2019, anterior ao período pandêmico, o balanço apontou retração de 4%.

Marcel Solimeo, economista da ACSP, lembra que o aumento de julho sobre junho decorre do maior número de dias úteis, da melhora da mobilidade, do Dia do Comerciante, da injeção de recursos via FGTS e Auxílio Brasil, apesar da inflação e da taxa de juros elevadas.

“A expectativa é que com o aumento do valor do benefício concedido pelo governo federal haja uma melhora no movimento do varejo e os próximos meses sejam melhores”, prevê Solimeo.

Para o economista, apesar de o varejo não ter voltado ao patamar anterior à pandemia, até o final do ano provavelmente o comércio atinja esse patamar e até o supere ligeiramente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Related Posts
Read More

Pix é responsável por 30% das operações de pagamentos no país

Pesquisa da Federação Brasileira de Bancos apontou ainda que 10% dos investimentos em tecnologia são destinados para cibersegurança, ligados ao crescimento escalável do setor, atendimentos às novas regulações como Pix, open banking e trabalho remoto.
Read More

Aumento nos preços dos combustíveis afetará desempenho do varejo

A disparada nos preços da gasolina e diesel não afetará apenas a inflação, que já reduz o poder de compra dos consumidores, mas também deve provocar um aumento geral nos preços por conta do frete. Logo, o apetite dos consumidores deve cair nas próximas semanas com o orçamento mais apertado das famílias.